12 novembro 2007

Mário de Miranda Quintana (1904-1994)


"Dizem que sou modesto. Pelo contrário, sou tão orgulhoso que acho que nunca escrevi algo à minha altura. Porque poesia é insatisfação, um anseio de auto-superação. Um poeta satisfeito não satisfaz. Dizem que sou tímido. Nada disso! sou é caladão, introspectivo. Não sei porque sujeitam os introvertidos a tratamentos. Só por não poderem ser chatos como os outros?".

Mário Quintana por ele mesmo

"Meu Quintana, os teus cantares
Não são, Quintana, cantares:
São, Quintana, quintanares.
Quinta-essência de cantares...
Insólitos, singulares...
Cantares? Não! Quintanares!".

Manuel Bandeira

Um comentário:

Julie disse...

coloquei um poema dele no meu orkut...
tu já viu?
bjos xuxu