05 agosto 2009

Reflexão


Se a premissa básica para ter estabilidade em uma vida em sociedade é se relacionar com as pessoas, isso requer um esforço para que se possa fazê-lo da melhor forma possível.
E neste relacionamento exige-se um quê de sentimentalismo, além da parte racional e objetiva que faz com que as coisas aconteçam, para que os momentos não simplesmente passem e sejam vividos a esmo.
Sentimentalismo exacerbado pode ser um defeito, mas a sua falta pode ser um grande erro, um equívoco, talvez, por parte daquele que não se rende. Se medo ou a própria falta de sensibilidade é que impedem o envolvimento, que isso não seja o problema. Mas com a consciência de que algo falta, e está sendo trabalhado.
No meu mundo não existem meios termos. Existe um sim, e seu por quê´s, e um não e seus porque´s. Achismos são vagos e ambíguos. Dúvidas são frequentes e necessárias. Também é preciso reflexão, encontro do interior com o exterior, que busquem sempre o equilíbrio.
E não porque algo será sempre o certo ou errado, acredito no mundo das relatividades. Onde os caminhos são diversos e cabe ao 'eu'- e à ele somente- fazer a escolha mais pertinente, plausível, as vezes, acessível.
O mundo está aí para nos descobrirmos. Os obstáculos, para que possamos enxergar não o que está ''além da curva'', mas as possibilidades. E ter consciência de que nós é quem contruímos o mundo ao nosso redor, em sua essência. E que ele é necessário, e não é algo externo a nós. Sem ele, seríamos conflito. Sem os outros que o habitam para nos encontrarmos ou encontrarmos o que não somos, não seria possível crescermos. O objetivo final das coisas é esse, crescermos e evoluirmos através de nossas escolhas, nossas perdas, e não encontrar uma resposta concreta e cartesiana para os dilemas que nos habitam no dia-a-dia.
Viver é estar sujeito à ganhas e perdas.
Viver é precisar do outro para poder encontrar-se. Não é ser só feliz ou triste, é simplemente viver. E com uma boa dose de amor, persistência, paciência e cabeça aberta, o complexo fica muito mais simples. Como tudo deveria ser.

4 comentários:

Janaina Galvão disse...

Não podia concordar mais!
Que a vida seja vivida!

Eurico disse...

Maravilha. Uma reflexão que me vem em boa hora!

Abraço fra/terno.

Maria Eliza Marques disse...

Eurico, fico feliz que possa ter 'contribuido' em boa hora!

E, obrigada por visitar o blog, sempre!

Papagaio Mudo disse...

jardim dos poetas...
que linda imagem.
Abraços,

Gustavo