23 junho 2010

O meio



Cansei de falar de amor,
por acreditar ainda mais nele.
A realidade me cega.
desvirtua.

Me cospe na cara
me distancia,
me exila.

Suas leis me sufocam,
sua mesmice me confronta;
sou batalha perdida.

Meus ganhos são egoístas,
e são tantos
e nunca esquecidos, por mim.

Vivo de acordo, pagã.
Não tenho fome ou sede
Tenho desejos hereges e extintos.

Consumidos todos
por diversos corpos;
sou alma perdida.
Em chamas sou calma,
devota do amor.

5 comentários:

Guilherme Sakuma disse...

Perfeição aqui.

Tô falando com você no MSN agora... Estamos debatendo sobre o tudo e o nada... eu estou sendo engolido vivo...

Você é tipo o Serra e eu sou a Dilma!

Rs


Beijo Má!

Janaina Galvão disse...

Eu também cansei de falar de amor. A realidade é um tanto quanto incompatível com os desejos...
Estou é cansada faz tempo!

Lindo texto babe!
Saudade de vc!

Janaina Galvão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Eliza Marques disse...

Hey, babe!
Eu canso de falar do amor sim, sem dúvida. Mas ele também me é um assunto inesgotável do qual eu não abro mão! =)

All you need is love, don't forget!

Beijimm,
saudade docê também!

Macário Campos disse...

Olá Maria Eliza,

Estou seguindo seu blog pela delicadeza de seus textos, muito bem construídos para nos mostrar a complexidade de suas idéias.
Os temas de meu blog são, na maioria das vezes, impressões das exposições que vi, neste mês não consegui passar incólume a um assunto que não me interessa, o futebol, portanto há algumas referências a ele.
Há vários comentários de exposições que ainda estão em cartaz aqui em São Paulo, se você tiver curiosidade, ficarei feliz com sua visita..
Como você também adoro música e sempre coloco uma para acompanhar meus comentários, é só acionar o player no corpo do post.

Bjs,

PS.: Nunca se canse de falar de amor.